LaGG-3, Série 4

LaGG-3 - desenho esquemático Foto por KalbodyLaGG-3 em Moscou, Museu central da Força Aérea, Monino. Foto por Mike1979.
Lavochkin-Gorbunov-Gudkov LaGG-3.
Origem: OKB-301 Lavochkin (escritório de projetos).
Tipo: Caça.
Dimensões:

  • Comprimento: 8,81 m.
  • Envergadura: 9,80 m.
  • Superfície alar: 17,62 m².

Motor: Um M-105P a 1065 cv.
Pesos:

  • Vazio: 2.516 kg.
  • Carregado, típico: 3.346 kg. 

Desempenho:

  • Vel. máx. ao nível do mar: 498 km/h.
  • Vel. máx. a 5.000 m: 575km/h
  • Ascensão a 5000 m: 6,8 minutos
  • Alcance: 870 km;
  • Tempo de curva a 1000 m: vinte segundos.
  • Ascensão em uma curva de combate: 750 m. 
  • Relação peso/potência: 2,36 kg/cv. 

Armamento:

  • Duas metralhadoras ShKAS de 7,62mm.
  • Uma metralhadora BS de 12,7mm.
  • Um canhão ShVAK de 20mm.

Histórico: Primeiro voo em 1940; entrega para as unidades de combate em inícios de 1941.
Usuários: União Soviética, VVS.

Desenvolvimento

Desenvolvido pelo escritório de projetos liderado por S. A. Lavochkin (La), V. P. Gorbunov (G) e M. I. Gudkov, o avião LaGG-3 é o desenvolvimento posterior do I-301 (renomeado como LaGG-1). O LaGG-3 foi um caça de linha de frente, um monoplano construído inteiramente de madeira, com a carlinga fechada e trem de pouso retrátil. Ele se diferenciava do LaGG-1 pela adição de dois tanques de combustível instalado nas asas, o que fez aumentar seu peso de decolagem, resultando, pois, na modernização do seu trem de pouso. Sua construção em madeira compensada com baquelita (um dos primeiros plásticos a terem uso industrial) era mais sólida que a madeira regular, resistente à combustão e não apodrecia. Ele era, entretanto, muito pesado, e os pilotos troçavam do avião dizendo que o acrônimo do escritório de projetos, LaGG, significava "caixão envernizado garantido" (Lakirovanny Garantirovanny Grob - лакированный гарантированный гроб).

A introdução do LaGG-3 foi complicada, o avião estava longe de ser perfeito e foi melhorado paralelamente à produção em massa, sendo produzido com diferentes variantes de armamentos. A asa integralmente construída de madeira — com a superfície em compensado — era análoga a do Yak-1, a diferir apenas por ser construída em duas seções. A fuselagem era a mesma do MiG-3, embora o armamento do LaGG-3 fosse considerado formidável,  com a taxa de disparo de 2,65 kg/s, o tornando superior a todos os caças soviéticos em produção e ao Bf-109E, F e G2.  O avião produzido em massa levava um canhão ShVAK (ocasionalmente substituído pela metralhadora BK de 12,7mm ou pelo canhão Vya-23 de 23mm, uma ou duas metralhadoras BS e duas metralhadoras ShKAS. Até 1942 o armamento padrão incluía seis foguetes RS-82. Também havia variantes com um canhão Sh-37 de 37mm desenvolvido pelo escritório de projetos Shpitalny, e o NS-37, do escritório de Nudelman e Suranov. O avião equipado com o canhão de 37 mm era conhecido como 'destruidor de tanques'. Dado seu potente armamento, o LaGG-3 era usado principalmente na interceptação de bombardeiros.

Ao todo, cerca de 6.528 LaGG-3 de todas as variantes foram produzidas até ele ser descontinuado em 1944.
LaGG-3LaGG-3 - detalhe da asa com foguetes RS-82.

Histórico operacional

O LaGG-3 rapidamente substituiu o LaGG-1, não obstante fosse demasiado pesado, sobrecarregando o motor. Isto se deu porque o escritório de projetos o desenvolveu tendo em vista o uso do motor Klimov M-106, o qual chegava a desenvolver  1.370 cv, porém este padecia de persistente inconfiabilidade.  Disto resultou o uso do relativamente fraco Klimov M-105P:  o avião se tornou lento, com uma baixa taxa de ascensão inicial; ele era algo difícil de controlar e reagia lentamente aos controles, sendo difícil tirá-lo de um mergulho; e se o manche fosse manejado com força, ele tendia a cair em parafuso.  Como consequência, curvas acentuadas eram difíceis de serem realizadas. Slats foram adicionados às asas para melhorar a maneabilidade e a taxa ascensão.

O LaGG-3 era impopular entre os pilotos, alguns aviões não chegavam às velocidades estipuladas pela fábrica, sendo até 40 km/h mais lentos do que constava em suas especificações. Em combate, sua principal vantagem era sua estrutura altamente robusta — e embora fosse construído de madeira, ele não incendiava quando atingindo por projéteis explosivos. O piloto Viktor M. Sinaiski lembrou: "Ele era desagradável. Preparar um LaGG-3 para voo exigia mais tempo do que outros aviões. Todos os cilindros deveriam estar sincronizados: Deus o proibia de mudar a alimentação de combustível. Éramos estritamente proibidos de mexer no motor! Mas ainda havia problemas constantes com o motor refrigerado a água no inverno:especialmente porque não havia fluidos anticongelantes. Você não podia manter o motor em funcionamento durante a noite, então você devia colocar água quente no sistema de refrigeração pela manhã. Demais, os pilotos não gostavam de voar o LaGG-3, uma besta pesada com um motor M-105 fraco — mas eles tinham de usá-lo. E assim tivemos mais perdas com o ele do que com os I-16."


 

Dados de copyright para este artigo:
Este trabalho de Fabrício Barros, foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição - NãoComercial - SemDerivados 3.0 Não Adaptada.
Com base no trabalho disponível em http://en.wikipedia.org.
Podem estar disponíveis autorizações adicionais ao âmbito desta licença em http://en.wikipedia.org/wiki/Wikipedia:Text_of_Creative_Commons_Attribution-ShareAlike_3.0_Unported_License.

 

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar

Informações adicionais